loading image

Cirurgia Vascular

Cirurgia Vascular

Cirurgia Vascular
A Cirurgia Vascular foi reconhecida, pela primeira vez, como especialidade independente, nos EUA, na década de 70. É, portanto, uma especialidade cirúrgica recente, que derivou da Cirurgia Geral e que tem tido um avanço exponencial ao longo das últimas duas décadas fruto do surgimento e desenvolvimento dos procedimentos endovasculares. A aquisição de conhecimentos nestas técnicas por parte dos cirurgiões vasculares permite o tratamento de múltiplas patologias, de uma forma minimamente invasiva que era outrora impossível.

Marcar Consultas

As principais patologias avaliadas e tratadas no âmbito da Cirurgia Vascular são as seguintes:

- Doença cerebrovascular carotídea - responsável por cerca de 25% dos AVC´sisquémicos. A revascularização do setor carotídeo é importante como estratégia profilática primária e secundária da morbi-mortalidade associada a esta patologia

- Aneurisma da aorta abdominal - assintomático na maioria (cerca de 75%) dos casos, o que dificulta o seu diagnóstico precoce. Frequentemente a primeira manifestação da doença é a rotura, que se associa a uma mortalidade global superior a 80%. Assim o tratamento profilático assume-se como essencial para prevenir uma morte precoce.

- Doença arterial obstrutiva periférica - tem uma prevalência superior a 15% no idoso. É, nas sociedades civilizadas, a principal causa de amputação de membro inferior. A claudicação intermitente (dor na região gemelar aquando da marcha) é, muitas vezes, o sintoma inicial desta doença.

- Doença venosa crónica - alterações morfológicas e funcionais do sistema venoso, que vão desde a telangiectasia (“derrames”) e varizes até à úlcera venosa, provocadas pela hipertensão venosa e pela inflamação crónica. É uma doença com elevada prevalência, podendo atingir metade da população adulta e tem uma etiologia multifatorial que compreende genética, idade, obesidade e fatores ambientais como a profissão. A doença venosa crónica, pela sua elevada prevalência, representa uma percentagem elevada do total de cirurgias realizadas.

- Linfedema – uma das causas mais comuns de edema dos membros inferiores, permanece, nos dias de hoje, uma patologia pouco estudada e frequentemente mal tratada apesar de estar associada a uma morbilidade funcional significativa.